Foto: João Carlos Winck/Arquivo pessoal

SÃO PAULO – Beatriz Wincks está desaparecida desde o dia 21 de outubro de 2012, enquanto visitava uma loja no Santuário Nacional de Aparecida com seu marido, o aposentado Delmar Winck. Do lado de fora, a idosa Beatriz Winck, o esperava. Quando ele saiu, não encontrou a companheira. Desde então, a mulher nunca mais foi vista pela família.

Parentes da aposentada, que na época tinha 77 anos, buscam notícias dela até hoje. O sumiço de Beatriz intriga os familiares e autoridades policiais da região.

A polícia disse que apurou o caso, mas as investigações não trouxeram novidades. A família dela contratou detetives particulares, mas também não conseguiu novas informações.

Os familiares contam que Delmar, atualmente com 90 anos, pergunta sobre a companheira com frequência. Até hoje, ele se questiona como ela desapareceu em instantes, sem deixar rastros.

Primogênito dos quatro filhos de Beatriz e Delmar, o químico João Winck, de 62 anos, é o principal responsável por procurar a idosa.

“É duro dizer, mas tudo isso tem sido um aprendizado. Você amadurece rápido demais. Desde que comecei a procurar a minha mãe, passei a enfrentar uma realidade que nunca imaginei”, diz o químico.

Ele conta que conversou com jornalistas, policiais e até com traficantes da região de Aparecida na busca por Beatriz.

“Cheguei a conversar com um gerente de boca de fumo para pedir ajuda. Um juiz me disse que eu não deveria ter feito isso, porque depois ficaria na mão do cara. Mas eu disse pra ele que naquele momento o que mais me importava era procurar a minha mãe”, desabafa.

João acredita que a idosa está viva. Mas entre os parentes, os anos sem respostas trouxeram incertezas e a sensação de que Beatriz está morta. Apesar da divergência, os familiares atualmente mantêm um desejo em comum: descobrir o que aconteceu com a idosa.

Em nota, a Polícia Civil de São Paulo afirma que segue apurando o caso. Nas redes sociais, uma página que acumula milhares de seguidores tem como título uma pergunta que ecoa entre os familiares da idosa: onde está a dona Beatriz?