Uma dona de uma funerária no Rio Grande do Sul identificada Nina Maluf, denunciou à Polícia Federal e ao Ministério Público que pessoas abusam sexualmente de cadáveres femininos em Institutos Médicos Legais (IMLs) e em funerárias.

Segundo informações, Nina Maluf e seu esposo identificado como Vinícius Cunha, sofrem ameaças de morte após trazer a tona o caso de necrofilia.

O caso ficou conhecido popularmente como Festa no IML, o nome veio de um dos grupos no Facebook em que eram divulgadas imagens pornográficas com mulheres mortas.

De acordo com a empresária Nina , as imagens foram feitas de dentro de IMLs e de funerárias no país. “A mulher é abusada até na morte”, afirmou Nina.

Segundo ela, quase 100 dias após a denúncia, nada foi feito contra as pessoas que praticam, incentivam ou faziam piadas sobre esse crime.

“Repercutiu muito mal, só que para mim. Fui ameaçada de morte por gente perigosa e tenho filho pequeno. Fiz o que eu podia, fiz um trabalho fortíssimo durante anos a fio, porque para mim como mulher é algo inaceitável. As denúncias foram simplesmente ignoradas pelo meu segmento e pelas autoridades. Agora eu lavo as minhas mãos”, afirma Nina.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio da Assessoria de Imprensa, informou que a denúncia de Nina gerou o expediente RD.00849.00364/2020. “Após análise da 21ª Promotoria de Justiça, a documentação será encaminhada ao Departamento de Polícia Metropolitana para investigação dos fatos”, traz a nota enviada .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui