Foto: Reprodução/Flickr Ministério da Saúde

BRASIL – Em nota técnica enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), a secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19 diz que “nenhuma preocupação séria de segurança foi identificada” nas vacinas da Pfizer/BioNTech destinadas às crianças dos 5 aos 11 anos de idade.

Rosana Leite de Melo assinou o parecer destinado à Corte. Por mais que seja subordinada de Marcelo Queiroga, sua posição vai em contramão às falas de Jair Bolsonaro (PL), que alega haver uma “desconfiança” por parte da decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Antes de recomendar a vacinação para crianças, os cientistas realizaram testes clínicos com milhares de crianças”, lembra a médica. Tanto o ministro da Saúde quanto o Presidente da República dificultaram a imunização do grupo contra o coronavírus no Brasil.

Segundo a nota, as vacinas “estão sendo monitoradas quanto à segurança com o programa de monitoramento de segurança mais abrangente e intenso da história do Brasil”. Desde a chegada da pandemia, 14 crianças entre 5 e 11 anos morreram por mês devido à doença.