Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

BRASIL – Uma nova revisão de dados feita pelo Ministério do Trabalho e Previdência indica que o Brasil registrou fechamento de vagas de trabalho com carteira assinada no ano passado, ao contrário do que foi divulgado inicialmente. Com a revisão, os dados mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o país destruiu 191,5 mil empregos formais no ano passado.

Na primeira divulgação, em janeiro deste ano, o governo informou que o Brasil havia criado 142.690 empregos com carteira assinada em todo ano passado com base nos dados do Caged. Em novembro, a primeira revisão já havia cortado o número de empregos com carteira pela metade, mas o saldo ainda era positivo, de 75.883. Na ocasião, os números foram divulgados pelo Ministério da Economia e o ministro Paulo Guedes declarou que o resultado do mercado de emprego em 2020, primeiro ano da pandemia da Covid-19 e em que o Produto Interno Bruto (PIB) caiu 4,5%, era uma “grande notícia”.

Os números iniciais do Caged também destoavam da trajetória da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). Embora a pesquisa do IBGE tenha uma metodologia diferente da do Caged, ela mostrou uma piora substancial do mercado de trabalho no ano passado.

Em nota técnica, o Ministério do Trabalho e Previdência informou que foram realizadas atualizações na pesquisa com o objetivo de “aumentar a precisão de toda a série de dados do Novo Caged.”