Foto: Reprodução

Da redação

O pastor americano Marcus Lamb, um televangelista e fundador da Daystar Television Network, morreu de Covid-19 após se manifestar duramente contra vacinas e supostamente tomar ivermectina para prevenir a infecção provocada pelo coronavírus.

A Daystar Television confirmou a morte de Lamb na terça-feira (30/11), embora o anúncio da rede não mencionasse a causa da morte. No entanto, a esposa de Marcus, Joni Lamb, confirmou que o seu marido morreu de Covid-19, dizendo que ele foi hospitalizado depois que o seu nível de oxigênio caiu e os tratamentos alternativos se mostraram ineficazes, de acordo com reportagem da “Newsweek”.

Lamb, segundo Joni Lamb, era diabético, o que aumentava o risco de adoecer gravemente devido à Covid-19. Aos 64 anos, a idade era outro fator mais preocupante para o pastor. Uma semana atrás, Franklin Graham, presidente da Associação Evangélica Billy Graham, postou em redes sociais um apelo por orações, já que Lamb estava enfrentando um “caso grave” de Covid-19.

Fundada no fim dos anos 1990, a Daystar Television Network se tornou o segundo maior canal cristão no mundo, atingindo cerca de 2 bilhões de pessoas no mundo, de acordo com os seus cálculos. Sua mensagem antivacina atravessou fronteiras e preocupou especialmente autoridades da Austrália.

No site da rede, a Daystar chamou as vacinas de “a coisa mais perigosa” que as crianças enfrentam, e a Daystar entrou com uma petição para impedir que as regras da vacina do presidente Joe Biden entrassem em vigor.

Em um processo judicial que a Daystar protocolou junto com a American Family Association, as duas organizações sem fins lucrativos classificaram a implementação de um mandato de vacina como um”pecado contra a Santa Palavra de Deus”.

Jonathan, filho do pastor, afirmou “não ter dúvidas” de que a batalha de Lamb contra o coronavírus tenha sido “um ataque espiritual do inimigo”.