O Juizado Nacional Eleitoral (JNE) do Peru, proclamou oficialmente, na noite desta segunda-feira, dia 19, o político Pedro Castillo como novo presidente do país. A oficialização vem após um mês e vários recursos (todos rejeitados) apresentados pela candidata adversária, a direitista Keiko Fujimori.

As apurações das urnas se estenderam por vários dias depois do pleito, mas com a contagem finalizada, Castillo ficou à frente da candidata da direita Keiko Fujimori por somente 44 mil votos. Com o resultado, Keiko Fujimori chegou a sua terceira derrota no segundo turno.

Keiko é filha de Alberto Fujimori, que assumiu a presidência em 1990, mas governou como ditador entre 1992 e 2000, período em que o Congresso foi fechado. Ela só disse nesta segunda, horas antes da proclamação do resultado, que reconheceria a vitória do adversário.

A posse Pedro Castillo como presidente do Peru está prevista para 28 de julho.

Sobre o novo presidente do Peru

Pedro Castillo Terrones, de 51 anos, nasceu na região de Cajamarca e é professor, tendo mestrado em psicologia educacional. Desde 1995 leciona na província de Chota, em Cajamarca.

O presidente eleito ficou conhecido no cenário nacional em 2017, após liderar uma greve de professores de quase três meses exigindo aumento de salários dos professores. Na campanha, ele prometeu um aumento para professores públicos.

Castillo chegou a prometer no início da campanha desativar o Tribunal Constitucional e dizia que a Suprema Corte do país defendia a “grande corrupção”. Ele também ameaçou fechar o Congresso se os parlamentares não aceitarem seus planos.

Ao longo da corrida presidencial, no entanto, Castillo mudou de tom e prometeu seguir a Constituição “enquanto ela estiver em vigor”, mas disse que buscará uma nova Assembleia Constituinte caso fosse eleito.