O presidente do grupo Samel, Luis Alberto Nicolau, e o diretor técnico, Dr. Daniel Fonseca, informaram nesta segunda-feira (22), que o número de 588 pacientes necessários para conclusão da pesquisa sobre o uso da proxalutamida no combate à Covid-19 aqui no Amazonas foi atingido.

A descoberta da possível eficácia do medicamento começou com uma pesquisa dermatológica que teve início em fevereiro de 2020 quando o grupo estudava Alopécia Androgenêtica, condição que causa a perda permanente de cabelo. O especialista e sua equipe perceberam que o androgênio (hormônio) tem relação com a Covid-19, pois o Sars Cov-2 só consegue entrar nas células através dos androgênios.

O pesquisador realiza o estudo para comprovar que o medicamento consegue impedir que o vírus entre nas células. “Essa é a nossa teoria que a droga consegue impedir a conversão do vírus“, disse o pesquisador. O estudo clínico, conduzido pelo Dr. Andy Goren, juntamente com o grupo Samel, começou no dia 2 de fevereiro e vai analisar 600 pacientes.

Nove cidades do interior do Estado estão fazendo parte deste estudo para acompanhar o desenvolvimento do medicamento no combate a covid-19. O Dr. Daniel Fonseca destacou que existe uma “grande expectativa para divulgação de todos os resultados e, assim, contribuir mais uma vez, com Amazonas e o mundo, por meio da ciência.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui