Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) disseram para a Folha de S. Paulo que a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-SP) também foi “um recado” aos militares que defendem a “pressão” feita pelo general Villas Bôas sobre a Corte no julgamento da prisão de Lula em 2018.

Em livro recente, Villas Bôas deu detalhes da publicação de um tuíte que ele publicou na véspera do julgamento do petista condenado, dizendo que o Exército compartilhava um “anseio de repúdio à impunidade”.

A mensagem, segundo ele, teria sido escrita com a ajuda de outros integrantes da cúpula das Forças Armadas.

Recentemente, Daniel Silveira criticou o ministro do STF Edson Fachin, que fez uma nota repudiando a fala do general. Um dia antes, o próprio Villas Bôas ironizou Fachin ao escrever, também no Twitter, que ele só se manifestara sobre a mensagem de 2018 “três anos depois”.

Para os ministros do STF, tanto a atitude do general quanto a do deputado fazem parte de um mesmo “movimento antidemocrático” e de “ameaça às instituições”.

Fonte: Gazeta Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui