Uma lista “polêmica” vazada na sexta, 22, contendo nomes de secretários, empresários e advogados vacinados de maneira irregular contra a Covid-19, o prefeito de Manaus, David Almeida, do Avante, por meio de nota, informou, na manhã deste sábado, 23, que não admitirá eventuais atos individuais de favorecimento.

“O prefeito de Manaus, David Almeida, reafirma a transparência no processo de vacinação contra a Covid-19 e não admitirá e nem compactuará com eventuais atos individuais de favorecimento à prioridade definidas pelo Ministério da Saúde para a fila da vacinação”, inicia o comunicado divulgado pela Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom).

David informa também que a “construção da lista de vacinação das redes de média e alta complexidade, do governo do Estado (Hospitais, SPAs e UPAs) são de inteira responsabilidade dos gestores das respectivas unidades de saúde”.

Desde já, o prefeito de Manaus anuncia a criação de uma Comissão de Ética e Disciplina para apurar e impor as sanções cabíveis no âmbito municipal.

Após a polêmica lista, o Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) divulgou não reconhecer suposta lista, e adianta que vai divulgá-la na íntegra na segunda-feira, 25.

“O Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) informa à sociedade amazonense que não reconhece a lista que está circulando em grupos de aplicativos de mensagem e redes sociais, desde a tarde desta sexta-feira (22), como sendo a enviada pela Secretaria Municipal de Saúde à Corte de Contas dos imunizados na primeira etapa de vacinação contra a Covid-19”, diz.

“Este Tribunal informa, ainda, que a lista, na íntegra, será amplamente divulgada pela Presidência do TCE-AM assim que for oficialmente recebida da Prefeitura de Manaus e, de forma transparente, será disponibilizada no portal deste Tribunal”, informou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui