Após receber críticas de internautas e cobranças das autoridades, sobre desvios da vacina contra a Covid-19, o prefeito de Manaus, David Almeida, tenta se isentar da suposta culpa, afirmando estar sendo perseguido por milícia digital, e que inclusive, estaria atrapalhando seu trabalho como gestor.

A suspeita é que David Almeida, da mesma forma que nomeou políticos derrotados nas urnas para assumirem cargos nas secretarias, também estaria favorecendo empresários e doadores de campanha, como retribuição ao apoio durante sua campanha eleitoral.

Ele comentou as ações de internautas, acusando-os de milícia digital na tarde desta quinta-feira, 21.

“De 48 horas pra cá nós identificamos uma milícia digital, com o intuito de desgastar, de causar o descrédito, de duvidar e de atrapalhar a cidade de Manaus. A quem interessa o caos nessa cidade? Procure os serviços da prefeitura, todos funcionando. Vamos divulgar as coisas boas de Manaus. Manaus não aguenta mais passar vergonha”, disse.

“A gente gasta tempo pensando nessas coisas e acaba atrapalhando o trabalho, são coisas pequenas, pontuais, mas que já tomei a decisão de enfrentar”, completou, sem citar nomes e nem especificar o que estaria desgastando e causando descrédito da prefeitura.

As denúncias foram expostas nas redes-sociais e chegaram ao Ministérios Públicos Federal, do Trabalho, do Estado e de Contas do Amazonas, juntamente com as Defensorias Públicas da União e estadual, que, após identificarem suspeitas de desvios, apresentaram à 1ª Vara Federal do Amazonas um pedido para que autoridades tomassem providências.

Ficando determinado que o município de Manaus informe diariamente em seu site, até as 22h, a relação das pessoas que foram vacinadas contra o novo coronavírus até as 19hs do dia respectivo, ‘com identificação de nome, CPF, local onde foi feita a imunização, função exercida e local onde a exerce’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui