Wilson Lima, governador do Amazonas, formou uma força-tarefa para ampliar a oferta de oxigênio na rede estadual de saúde. Essas medidas incluem apoio das Forças Armadas para o transporte de insumos de outros estados para a Amazônia e chamadas públicas para a implantação de miniusinas de oxigênio. 

O plano foi detalhado na reunião do Comitê de Resposta da Covid-19, no domingo (10). Wilson Lima disse em um comunicado da rede social que “a situação é muito séria” porque o fornecedor local de oxigênio não consegue atender à demanda crescente no estado devido ao aumento no número de hospitalizações da Covid-19. Nas últimas semanas, o número de novas internações pela doença bateu recordes e voltou a encher o sistema.

“O Estado está mobilizando uma operação junto com o Exército para trazer cilindros de oxigênio de Guarulhos, em São Paulo, estudando a montagem de miniusinas de oxigênio e também estou pedindo a ajuda dos demais estados para que identifiquem empresas que possam fornecer esse produto ao Amazonas. Nós temos dinheiro em caixa, mas não conseguimos comprar o produto aqui na região”, disse o governador Wilson Lima.

A quantidade de oxigênio líquido contratado pelo governo amazônico durante a pandemia na zona de saneamento aumentou de 176.000 para 850.000 metros cúbicos por mês. Um aumento de 382,9%. Entre sexta-feira (08) e domingo, 350 cilindros de oxigênio foram lançados de Belém (PA) em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) em Manaus, o equivalente a 24,5 toneladas do produto.

Parte do produto entra no município interno. Ainda no domingo, um lote de tanques de formato especial contendo 30 mil metros cúbicos de oxigênio da White Martin foi enviado de São Paulo em um avião da FAB. No sábado (9), outros 150 cilindros foram transportados de Brasília de Brasília, e 50 mil metros cúbicos de carga foram embarcados do navio de Belém a Manaus.

A Carboxi Gases apurou em reunião com a Defesa Civil do Estado na sexta-feira que vai ampliar a produção de oxigênio para atender a rede estadual de saúde. A medida garante o fornecimento de 6.800 metros cúbicos de oxigênio.

Outra medida que o governador Wilson Lima determinou, é a abertura de chamamento público para aquisição de miniusinas de oxigênio. Medida que poderia garantir autonomia de oxigênio para os hospitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui