Rio de Janeiro- Foi preso na manhã do último sábado, acusado de maus-tratos à avó de criação Mateus da Luz de 21. A denúncia partiu de vizinhos baseados nas imagens do circuito interno de segurança que, na noite do último dia 19, mostram o estudante despejando uma garrafa de água sobre a cabeça de Maria Stella Vasconcellos da Silva, 76. Ele foi levado para a 14ª DP (Leblon) e vai responder por lesão corporal, discriminação contra idosa e dano, pela Lei Maria da Penha.

De acordo com as investigações, o neto usava violência física e psicológica contra sua avó. Ele batia na cabeça dela com uma garrafa, desferia chutes e a queimava com cigarros.

No vídeo, Mateus também aparece quebrando o painel, onde ficam os botões dos andares, dentro do elevador, e as cenas de maus-tratos a avó . Ao delegado Ricardo Dourado, a síndica do prédio, onde moram Mateus e Maria Stella, disse que não é a primeira vez que ele causa danos ao patrimônio do condomínio, e também não é o primeiro caso de agressão contra a avó flagrado pelos moradores.

No depoimento de um dos moradores do prédio, a idosa teme ficar dentro da própria casa: “Os vizinhos escutam todos os dias a avó apanhar ou sendo maltratada pelo neto, que ela fica o dia todo na portaria, temendo pela sua integridade física dentro do próprio imóvel. A senhora é uma idosa de ótimas condições físicas, mas que aparece com constantes lesões não naturais para seu estado físico e sempre desconversa dizendo que tinha levado uma queda”.

Ainda segundo relatos, o homem é agressivo, não trabalha e é sustentado pela avó, que não havia denunciado o neto por receio de agressões mais severas.

Na delegacia, Mateus afirmou que é sustentado pela vó e declarou que “perdeu a cabeça por causa da situação financeira da família”. Num trecho do depoimento, ele conta que a avó “ficou sem lhe oferecer suporte financeiro por cinco dias e que o fato lhe fez iniciar a violência no interior do elevador”. Em relação às lesões no corpo da vó, ele confessou que foram provocadas por “empurrões e por agarrões”, assumindo também que provoca queimaduras na avó com pontas de cigarro.

A vítima declarou à polícia que o neto desde pequeno, tem um “comportamento difícil e meio agressivo”, mas que, nos últimos quatro anos, o comportamento se tornou “extremamente alterado”. Ela afirmou que Mateus quebrava objetos em casa e que, por isto, foi internado numa clínica psiquiátrica onde ficou por três meses. E lembra ainda que, há dois anos, por orientação médica, foram suspensos os medicamentos que ele tomava.

Na última sexta-feira (20), foi realizado exame de corpo de delito que encontrou vestígios de lesão na vítima. Mateus foi preso após monitoramento do setor de inteligência da delegacia do Leblon. A Justiça expediu um mandado de prisão contra o agressor. Segundo as investigações, o preso possui histórico de delitos semelhantes e já praticou outros crimes previstos no Estatuto do Idoso contra sua avó, em 2017, e uma lesão corporal contra sua própria mãe, em 2019. Ele também acumula uma série de passagens pela polícia, por crimes que vão de injúria por preconceito a furtos e ameaças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui