Covid: Em entrevista a ‘CNN Brasil”, Arthur Neto afirma que novo ‘lockdown’ depende de aliança com governador

O prefeito de Manaus apontou mandos e desmandos do Governo Wilson Lima, e ressaltou a consistência de suas propostas e medidas tomadas.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Em entrevista à emissora de televisão CNN Brasil nesta segunda-feira (28/09), o prefeito de Manaus, Arthur Neto, afirmou a necessidade de um novo “lockdown” para a capital amazonense como medida para conter uma segunda onda da Covid-19. No Twitter, o prefeito convidou o governador Wilson Lima a decretar fechamento das atividades não essenciais pelos próximos 15 dias com base em sua “crença” de que esse período seria suficiente para evitar o avanço da doença.

Arthur Vigilo lamentou o desencontro de medidas entre governo municipal, e o governo estadual de Wilson Lima, que decretou a reabertura das escolas estaduais, contrariando as recomendações dos especialistas, e o esforços dos governos em controlar a reabertura. Arthur criticou a Fundação de Vigilância Sanitária (FVS-AM), pois foi irresponsável em minimizar o crescimento de casos na capital, o que influenciou que as pessoas voltassem a se aglomerar, muitas vezes descumprindo as medidas preventivas. O prefeito comentou se guiar pelas conclusões da Fiocrus, que previu desde Julho um aumento de casos em Manaus, que se mostrou uma realidade nas últimas semanas.

O prefeito ressaltou que para decretar ‘lockdown’ necessita do apoio do governador “[…] Tem que se ver com o governador, senão, eu sou um poder desarmado, ai daqui a pouco todo mundo desrespeita, e não fica nem um pouco bem para mim. Mas é coisa para o governador entrar junto […].” Afirmou o prefeito.

Como medida para manter as pessoas em casa, Arthur disse que manter as crianças em casa é essencial. Para isso a prefeitura tem se esforçado para levar educação às crianças em casa, e usado os recursos alimentícios da rede publica para garantir alimentação aos alunos da rede municipal. E como medida para amenizar a lotação do transporte público, 112 novos ônibus integraram ao sistema de transporte público.

O governo municipal possui 18 unidades de tratamento intensivo no tratamento de Covid-19, porém necessita de uma atuação conjunta do governo com Estado para efetivar as medidas propostas e impedir que uma nova onda de casos seja uma realidade na capital amazonense.

Relacionado Posts