Cadáver permanece sem ser removido, um ano após homicídio em Autazes

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Amazonas – Um jovem, identificado por Rodrigo Paz Barbosa foi assassinado, na comunidade de Piauaçu, no município de Autazes, em Setembro de 2019, porém, ainda hoje, setembro de 2020, seu corpo ainda não foi removido das margens do lago em que foi encontrado.

A história começa em Manaus, no início do mês de setembro de 2019, quando Rodrigo teria sido acusado injustamente por um crime de roubo de veículo, e optou por buscar refugio na propriedade de um familiar, o qual tem uma fazenda nas redondezas do município de Autazes. A família, que mora na capital, não sabe o que aconteceu, porém no dia 12 de setembro de 2019 o corpo do jovem foi encontrado desovado em um lago às proximidades da propriedade.

A polícia militar foi acionada ao local da ocorrência, entretanto, segundo os relatos da família, se recusaram a investigar o crime, e a sequer acionar o IML para retirar o cadáver do local. No lugar, acionaram a uma agência funerária, designada a retirar o corpo, que deixou um caixão e luvas próximo ao defunto para que a própria população fizesse a remoção. O nome da funerária em questão ainda é desconhecido.

Segundo a família, o único apoio prestado veio da vereadora de Autazes, Daniela Sampaio. Entramos em contato com Daniela, e em sua fala ela alega ter prestado apoio humanitário. “A família me procurou aqui no município de Autazes e estavam inconsolados, pedindo por alguma ajuda. Providenciei uma lancha para que os transportassem entre o município, a capital e o local do crime, e algum consolo emocional.” afirmou a vereadora.

Ainda segundo um familiar da vítima, Rodrigo lidava com vício em drogas, mas não era considerado perigoso, e era inocente das acusações que lhe haviam sido atribuídas anteriormente. Após o falecimento da matriarca, durante a pandemia do Covid-19, o familiar da vítima alega ter recebido ligações de uma moradora da região, dizendo que locais saquearam o corpo a fim de encontrar uma arma, porém nada acharam.

Cadáver permanece sem ser removido um ano após homicídio em Autazes

O cadáver ainda continua as margens do lago em Piauaçu, em um avançado estado de decomposição. na época do crime, a família averiguou marcas de agressão e constatou que Rodrigo teria sido assassinado com um tiro no olho.

Tentamos entender a participação da Policia Militar de Autazes. Entramos em contato com a assessoria da delegacia local, porém a delegada não encontrava-se no Município, e não teve nenhuma informação que levasse ao seu contato.

Relacionado Posts