Troca de favores: Arthur Neto negociou cargo na casa civil para o irmão da procuradora-geral do MP/AM que investigava Elisabeth Valeiko

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

A primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko Ribeiro, é o principal alvo, ou melhor, era, de uma operação do MP/AM, denominada “Operação Héstia, cujo propósito é investigar a prática de lavagem de dinheiro, que envolve a esposa do prefeito Arthur Neto e, pessoas próximas a ela.

As investigações estavam sendo comandadas pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), juntamente com o Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (GAECO), do MP/AM. O nome “Operação Héstia”, se refere a deusa grega do lar, lareira, arquitetura, vida doméstica, família e estado. Conforme documentos vazados da operação, as investigações duraram do período de 14/10/2019 a 02/12/1019, quando foram misteriosamente suspensas.

O que chamou a atenção do grupo operacional envolvido no caso, assim como, dos ‘desafetos’ nos bastidores da casa civil, foi o fato de as investigações terem sido suspensas no mesmo período em que ocorreu a nomeação de Luciano Mauro Nascimento Albuquerque, irmão da procuradora-geral do Ministério Público do Amazonas (MPAM), Leda Mara Albuquerque, responsável pela operação.

Este foi supostamente o acordo feito entre o prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto (PSDB) e Leda Mara Albuquerque (MPAM), para suspender a operação em torno da primeira-dama Elisabeth Valeiko, fato este que seria um escândalo para o atual prefeito e catastróficas para sua gestão, pois os crimes em que ela estaria supostamente ligada é o de lavagem de dinheiro, aumento de patrimônio e enriquecimento ilícito, não só dela, como de familiares.

A nomeação de Luciano Mauro Nascimento Albuquerque, irmão da procuradora-geral do Ministério Público do Amazonas (MPAM), Leda Mara Albuquerque, ocorreu no dia 13 de fevereiro deste ano, segundo consta no Diário Oficial do Município (DOM). O cargo é de assessor técnico I, da Casa Civil da prefeitura. As investigações foram suspensas há exatamente 73 dias após o acordo.

Segundo documentos das investigações, a casa lotérica Las Vegas, situada na Rua Franco de Sá, nº310, loja 15, no térreo do Edifício Atrium, no bairro São Francisco, zona Sul de Manaus é de Eliana Fernandes da Cruz e Igor Gomes Ferreira, que juntos tem direito a 1% do lucro. A lotérica seria utilizada para lavar dinheiro proveniente de corrupção. Igor é genro da primeira-dama Elisabeth Valeiko que possui 99% de todo o lucro obtido.

Ainda segundo as investigações, o dinheiro advindo de corrupção era transportado por Eliana em um veículo Jeep Compass branco de placas PHD-5027.

Segundos fontes do órgão onde Leda atua, existem outras nomeações dadas pela procuradora-geral do Ministério Público do Amazonas (MPAM) em troca de “favores”. Ainda segundo fontes, existe uma uma representação feita contra Leda Mara Albuquerque no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Relacionado Posts