Após velório, família recebe notícia de que enterrou o corpo errado

Hospital fez confusão e trocou o corpo de uma pessoa morta pela Covid-19 por outro sem a doença
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Brasil – O Insituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP) fez uma confusão e trocou o corpo de uma pessoa morta pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), e fez a família velar e enterrar por engano o corpo de um homem de 39 anos, que não tinha a doença. O caso ocorreu nesta quinta-feira (10) em Teresina, no Piauí.

Após um comunicado do engano, a família teve que fazer um segundo enterro para que os corpos fossem “destrocados”. Por meio de nota, a direção do instituto disse que lamenta profundamente o ocorrido e pediu desculpas aos familiares.

A vítima que foi confundida foi Boa Ventura Pereira da Silva, de 68 anos. Ele morreu na manhã desta quinta. Após o óbito, os parentes fizeram o reconhecimento do corpo e contrataram uma funerária da cidade de Alto Longá para buscá-lo.

“Meu pai estava há quinze dias na UTI desse hospital. Me ligaram dizendo que tinha que vir reconhecer o corpo. Esperamos três horas para a funerária chegar e foi liberado. Eles disseram que tinha um protocolo, que a gente não podia abrir o caixão”, Franciane, que é filha da vítima.

Depois desses procedimentos, a família conta que a funerária foi ao hospital, recolheu o corpo e levou para o sepultamento. Na tarde do mesmo dia ainda houve um pequeno cortejo em Alto Longá, mas o corpo nem chegou a sair do carro e seguiu diretamente para o enterro.

Ainda segundo a família, foi depois de três horas do enterro que o serviço social do hospital avisou, por telefone, que o corpo havia sido trocado. O hospital disse que abriu uma sindicância para saber como a troca ocorreu.

O inconveniente fez com que a família precisasse fazer novamente o reconhecimento do corpo. Após a confirmação do engano, foi feita a destroca dos corpos. A família lamentou o ocorrido. Depois, seguiu novamente para o segundo sepultamento no interior de Novo Santo Antônio, desta vez do familiar deles.

“Estamos com muita indignação, acabamos de enterrar um estranho. Muita tristeza. Vamos ter que enterrar de madrugada nosso querido Boa Ventura. Temos que cuidar de um novo enterro”, afirmou Robert, que é genro do idoso.

Fonte: Meia Hora

Relacionado Posts