Polícia investiga bomba jogada em casa de testemunha do caso Flordelis

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Uma testemunha da investigação do assassinato do pastor Anderson de Carmo, marido da deputada federal Flordelis dos Santos (PSD-RJ), procurou a polícia para relatar ter encontrado uma bomba em casa. O explosivo caseiro teria sido jogado no terreno dele na madrugada da última sexta-feira (4/9).

Deputada Flordelis, que recentemente teve o marido assassinado, retorna à Câmara.

A parlamentar foi acusada pelo Ministério Público como a mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo.

Na primeira entrevista concedida após ter sido acusada de comandar a morte do marido, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) contou que fez sexo com o pastor Anderson do Carmo, no capô do carro, horas antes do crime.

Segundo Flordelis, no dia do assassinato, ela e Anderson chegaram a casa já de madrugada, em torno das 3h.

“Fomos à Copacabana, andamos no calçadão, fizemos as brincadeiras, andamos na praia. Depois fomos para o carro, ele pegou uma pista deserta. Nós paramos ali, namoramos, que era uma coisa normal nossa, na estrada”, disse a deputada.

Flordelis em áudio para sua igreja: “Vamos vencer esta batalha na oração”, em referência ao caso do assassinato.

“Me beijou bastante, eu sentei no capô do carro e tivemos relações. Falei ‘Amor, amanhã a gente vai acordar cedo, né?’. Isso foi por volta de 2h e alguma coisa”, completou a deputada.

A parlamentar negou por várias vezes ter envolvimento na morte do marido e se disse vítima de uma injustiça. “Eu preciso saber quem matou meu marido. Eu não sei. Se eu soubesse, eu falaria aqui agora. Quem matou meu marido está desgraçando com minha vida. Eu não estou escondendo nada”, afirmou.Claudio Andrade/Câmara dos Deputados

“Estou vivendo o pior momento da minha vida. Não estou preparada para ser presa, e não vou ser. Porque eu sou inocente, e a minha inocência será provada. Eu não matei, eu não fiz isso que estão me acusando. Eu não fiz. Não é real, não é verdade. É uma injustiça”, garantiu.redes sociais/ reprodução

A denúncia foi registrada na delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI).

Flordelis foi denunciada pelo Ministério Público à Justiça como mandante pelo crime. A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu reabrir o Conselho de Ética para analisar o caso, que pode terminar em perda do mandato.

O pastor Anderson do Carmo foi executado em junho do ano passado. Flordelis e o marido eram pais de 55 filhos, a maior parte deles afetivos. Investigadores suspeitam que alguns deles tenham sido adotados fora do Cadastro Nacional de Adoção, o que seria ilegal desde 2009.

Relacionado Posts