Flordelis pede “pelo amor de Deus” para não ter mandato cassado

A deputada federal é acusada de ter mandado matar o pastor Anderson do Carmo em um escândalo que envolve até ritual de purificação sexual
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Brasil – A pastora e deputada federal Flordelis, suspensa do PSD, tenta convencer colegas de parlamento em grupos de WhatsApp a não cassarem seu mandato em razão das denúncias feitas pelo Ministério Público que apontam que a parlamentar foi a mandante do assassinato do esposo, o pastor Anderson do Carmo. Ela alega inocência.

Segundo informações do jornalista Guilherme Mazieiro, do portal Uol, Flordelis encaminhou mensagens para os grupos das bancadas feminina, do Rio de Janeiro e do PSD. Nenhum parlamentar teria se manifestado até o momento. A deputada teve mandado de prisão em seu nome, mas não foi presa por conta da imunidade parlamentar.

“Querem caçar meu mandato venho aqui pedir a vocês pelo amor de Deus não deixem que façam isso comigo eu juro que vou conseguir provar a minha inocência e que vocês não se arrependerão de me ajudarem”, diz a mensagem da deputada.

Personagem central de um escândalo que envolve assassinato, sexo e dinheiro, Flordelis segue convocando fiéis para cultos no Rio de Janeiro. Nesta sexta, ela exonerou dois de seus filhos acusados pela morte do pastor, que tinham tinham salários entre 14 e 15 mil reais.

Entre os episódios que mais chamam atenção estão um ritual de purificação sexual, as incessantes tentativas de envenenamento do pastor e os “favores sexuais” de filhas oferecidos por Flordelis a pastores estrangeiros.

Relacionado Posts