Bolsonaro critica quem reclama de valor do auxílio emergencial: “Não é aposentadoria”

"Peço ajuda para carregar essa cruz, porque está pesada", disse o presidente a um apoiador
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Brasil – O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira (28) aqueles que reclamam do valor do auxílio emergencial. O benefício foi pensando inicialmente para ser pago em três parcelas de R$ 600. Com o avanço da pandemia, o governo vai estender o programa até o fim do mês com valores mais baixos de parcelas.

“Tem cara já reclamando, o tempo todo assim. Isso não é aposentadoria, é uma ajuda emergencial. Eu sei que é pouco para quem recebe, mas ajuda, pô, é melhor do que nada”, criticou em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada.

Em determinado momento, um apoiador agradeceu ao presidente pela ajuda do auxílio e disse que Bolsonaro tinha que “agradecer a Deus” pelo que ele está fazendo. “Agradeço todo dia. E peço ajuda para carregar essa cruz porque está pesada”, respondeu o ex-capitão.

Bolsonaro se reúne nesta sexta-feira com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para fechar o valor da extensão do auxílio. O presidente quer que as parcelas fiquem em R$ 300, mas o ministro defende que pagamentos sejam ainda mais enxutos, por volta de R$ 200.

Relacionado Posts