“Cachorras no cio”: Mulher “cristã conservadora” culpa menina de 10 anos pelos 4 anos de estupro

Sonely Almeida é ferrenha defensora do presidente Jair Bolsonaro nas redes e beata na Igreja
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Brasil – Os ataques de conservadores à menina de 10 anos que realizou aborto para interromper gravidez provocada por estupros – que ocorreram por 4 anos – chocaram as redes sociais neste domingo (16) após a extremista Sara Winter cometer crime ao divulgar nome e endereço de onde a criança realizaria o procedimento – autorizado judicialmente.

Além das ações em frente ao hospital que recebeu a criança, diversos comentários feitos por fanáticos religiosos e seguidores do presidente Jair Bolsonaro chamaram atenção nas redes sociais.

Um deles foi feito pela beata Sonely Almeida, que diz ser voluntária da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus. Um exemplar de “cidadã de bem”.

“Quatro anos sendo estuprada ate se engravidar e não falar nada com ninguém? Será que ela é tão inocente assim? Me perdoa! A maioria das mulheres de hoje estão pior que cachorras no cio. Na minha comunidade tem crianças de dez anos que já estão com dois filhos nos braços. Estamos vivendo num mundo cruel. Onde perderam completamente o temor de Deus. Mais uma inocente que vai pagar pelos erros dos pais. Se o pai e a mãe cuidasse dela como deveria, certamente isso não estava acontecendo com ela”, disse em comentário feito no Facebook.

Sonely tem diversas fotos com logomarcas do presidente Jair Bolsonaro, tanto das eleições de 2018, quanto do partido Aliança Pelo Brasil – que o ex-capitão pretende criar. Se coloca nas redes como uma fiel apoiadora do presidente, uma bolsonarista raiz, e compartilha selfies com passagens bíblicas.

Relacionado Posts