Passageiro agredido por motorista de aplicativo é acusado de assédio sexual

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Na noite da última quinta-feira (13), Clayton Oliveira fez um longo desabafo em seu perfil no Instagram denunciando as agressões que sofreu por um motorista do aplicativo 99 durante corrida. Ainda na noite desta quinta, o motorista Júnior Cruz acusado das agressões, gravou um vídeo se defendendo das acusações.

Clayton conta que solicitou o serviço e sentou-se no banco do passageiro, ao lado do motorista, identificado como Junior Cruz. O motorista teria questionado se Clayton era gay, que confirmou. Com isso, o suspeito começou a agredir o passageiro dentro do veículo, dizendo que ele merecia morrer.

Já no vídeo, gravado pelo motorista ele diz que emprestou a conta do aplicativo para um parente trabalhar durante a noite. Ele também mostra um boletim de ocorrência que foi registrado para esclarecer os fatos afirmando que o motorista acusado foi assediado.

“Estou aqui dando a minha cara a tapa para o rapaz me reconhecer e ver que não foi eu que agredi ele” diz o motorista, segurando o B.O em frente a uma delegacia.

Após o posicionamento do motorista, que foi banido do APP, Clayton desativou a conta no Instagram em em seguida um perfil foi criado expondo a vítima sobre ter assediado o motorista no dia da corrida e mostrou ainda, o ‘histórico’ de assédios praticados pela vítima.

Relacionado Posts