Jovem com suspeita de Covid-19 acusa médico de oferecer sexo durante consulta

Segundo a vítima, uma recepcionista de 29 anos, o médico afirmou que ela não sofria de Covid-19, mas sim que ela estava sob estresse
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

São Paulo – recepcionista de 29 anos denunciou um caso de importunação sexual sofrida durante uma consulta médica em São Vicente, no litoral de São Paulo, após ela apresentar sintomas de Covid-19, a doença do coronavírus.

Vivian Herculano Salvatore procurou atendimento médico no Centro de Controle de Coronavírus depois de apresentar os sintomas. Segundo ela, o médico afirmou que ela não sofria de Covid-19, mas sim que ela estava sob estresse.

“Ele começou a falar que eu precisava relaxar e perguntou o que eu fazia para desestressar. Achei aquilo estranho, mas continuei respondendo”, contou a jovem, em entrevista ao G1.

Mais adiante na conversa, conta a vítima, o médico disse: “para desestressar, precisava de três coisas: oportunidade, vontade e coragem”. “Ele começou a falar em um tom de voz mais baixo”, lembrou Vivian.

“Ele me disse: ‘uma dessas três coisas te falta: a oportunidade você tem agora, o que te falta, coragem ou vontade?’. Nessa hora, ele levantou da mesa dele e parou na minha frente, perguntando se eu não tinha coragem, e que era só fechar a porta. Ele também perguntou se eu não tinha vontade de calor humano, um abraço, que me desestressava”, descreveu a vítima.

A jovem afirma que saiu do consultório e denunciou o caso na direção do hospital. Ela também registrou um boletim de ocorrência. O caso é investigado como crime de importunação sexual na Delegacia de Defesa da Mulher de São Vicente.

A Prefeitura de São Vicente informou, em nota, que a denúncia está sendo apurada pelos órgãos competentes e que o médico foi imediatamente afastado de suas funções.

Relacionado Posts