Bolsonaro: ‘Outras coisas do mundo civilizado chegarão à região Norte’

Bolsonaro disse que "políticas no mínimo equivocadas e antipatriotas" impediram o Brasil de consolidar a integração do país
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter

Brasil – Em cerimônia de um programa para levar energia elétrica para áreas remotas da Amazônia Legal nesta quarta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que “coisas do mundo civilizado” chegarão à região Norte do país.

No auditório do Ministério de Minas e Energia, ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), Bolsonaro assinou uma portaria que designa a Eletronorte como agente executor do Programa Mais Luz para a Amazônia no Amapá. O programa, criado por decreto em fevereiro, tem objetivo de levar energia limpa e renovável para 300 mil pessoas que vivem em áreas remotas da Amazônia Legal.

“Mais do que 300 mil pessoas atingidas com esta medida hoje assinada via portaria. Outras coisas do mundo civilizado chegarão a estes nossos irmãos da região Norte”, disse o presidente pouco antes de encerrar seu discurso.

Instantes antes, Bolsonaro confundiu-se ao fazer menção à região amazônica.

“Agora vejo vocês, na região Amazonas, região Amazônica, levando energia elétrica, em grande parte, energia solar. Realmente, não tem preço isso para aquelas pessoas. Aí vemos que o Brasil é grande e realmente tem muitos desafios pela frente”, disse o presidente.

Bolsonaro disse que “políticas no mínimo equivocadas e antipatriotas” impediram o Brasil de consolidar a integração do país.

Ele mencionou a sua ida à Bahia e ao Piauí para inaugurar obras de abastecimento e disse que “não damos valor porque temos isso em casa”.

“Para aquela gente sofrida, o sentimento que a gente tem é realmente inenarrável.”Ainda no discurso em defesa da integração nacional, Bolsonaro falou a favor da liberdade nas redes sociais, posicionamento que se intensificou desde que aliados seus passaram a ter contas bloqueadas.

“Este trabalho ajuda também […] a integrar a nossa região amazônica e, atrás disso, vem a internet, vêm as mídias sociais, que as mídias sociais têm que, sim, ser livres. Não interessa se ela comete alguns equívocos, alguns exageros. Tem a lei para punir quem comete estes exageros. A internet também leva o desenvolvimento para esta região”, disse Bolsonaro.

Relacionado Posts